09 março, 2011

"Se vieres, vou esperar-te à estação"

Escolhe a noite. Se vieres, não escolhas o dia, porque eu não sei ser – só ser – quando o dia é do sol. E de toda a gente. Quando o sol não deixa que eu te veja, e que tu me tentes ver. Escolhe a noite, quando vieres. Porque eu não saberei fingir, fugir. Não escolhas as palavras. Não insinues, não perguntes, não declares. Por favor, não jures. Não fales, porque eu não sei ouvir. E não sei falar. E tu não me saberás ouvir, quando eu não souber falar. Dizer. Não digas, quando prenderes os meus olhos nos teus. Não! Não queiras prender os meus olhos nos teus. Meus. Porque eu preciso de te ver. Continuar a ver. Segura a minha mão. Mas sem a prenderes na tua. Segura. Não a deixes cair. Tens agora a certeza?
E fica. Assim como eu sei ficar. Tu ainda não sabes, mas eu também sei ficar. Não escolhas o amanhã, não fiques no tarde demais. Não peses os riscos, as probabilidades, quando estamos assim, sós, inteiros, sem metades. Ainda sem metades. Não escolhas esperar que eu me aproxime mais, que diga que sim. Que diga prometo. Não escolhas esperar, porque eu não sou aquela que se aproxima quando quer mais. Tu não sabes, mas eu não sei ser mais. Sou só aquela que transforma um pacote de açúcar com uma frase bonita num achado valioso, só porque apareceu num lugar e num momento onde tu não estavas. Mas eu tinha-te lá. Sou só aquela que ainda não sabe ouvir música – só ouvir música – sem ver nela, permanentemente, ousadamente, uma saída. Uma forma de transmitir mensagens estagnadas. Estranguladas. Aflitas. Uma mensagem. A mensagem.
Um dia canto-te para tu teres a certeza. Ou talvez sejas tu a cantar. Talvez tenhas que ser tu a cantar, desta vez. Porque eu saberei ouvir. Tu não sabes, mas eu ouço-te. E tu cantas, sem saberes. Mas quando cantares escolhe a noite. Escolhe a noite, se quiseres ficar.

E gostares de ler também seria útil. Se calhar peço demasiado…
Um dia destes deixo-te o blog debaixo da porta.

2 comentários:

GabriellaDreams* (: disse...

Como é que as palavras podem ser tão bonitas? :)
É possivel nos apaixonarmos por um texto? (era da maneira que toda a gente ficava encantada..!)

GabriellaDreams disse...

Estar de férias tem destas coisas. Começa-se a ouvir Deolinda e termina-se aqui.
E se na altura soube bem ler, agora sabe mil vezes melhor